Voltar

Brasil e Coreia do Sul acertam acordo em tecnologia da informação

29/04/2015
Imagem retirada de http://www.unisinos.br/eventos/brasil-coreia/evento/noticias
Imagem retirada de http://www.unisinos.br/eventos/brasil-coreia/evento/noticias

Brasil e Coreia do Sul vão realizar uma parceria na área de tecnologia da informação (TIC) pelos próximos três anos. O acordo de cooperação foi assinado nesta sexta-feira (24), durante reunião entre o ministro das Comunicações, Ricardo Berzoini, e o ministro da Ciência e Planejamento da Coreia do Sul, Yanghee Choi.

O acordo contará com US$ 1 milhão da Coreia do Sul e prevê atividades bilaterais em setores, como políticas de TIC, governança de internet e tecnologia 5G para telefonia móvel. Além disso, inclui pesquisa e desenvolvimento em M2M, conhecida como “internet das coisas”, aplicações de Big Data e projetos de cidades inteligentes.

A parceria foi formalizada durante a visita da presidenta sul-coreana, Park Geun-hye, que foi recebida pela presidenta Dilma no Palácio do Planalto. No encontro, foram assinados 10 atos de cooperação entre os dois países.

Mineração
Entre os atos, está o memorando de entendimento entre a mineradora Vale e o Korea Eximbank (banco coreano de comércio exterior). A instituição coreana pretende financiar com US$ 2 bilhões projetos da Vale que envolvem empresas coreanas.

Dilma aproveitou a ocasião para anunciar que pretende inaugurar a Companhia Siderúrgica do Pecém, no Ceará, até o início do ano que vem. A siderúrgica é uma parceria entre a empresa brasileira Vale e as coreanas Dongkuk e Posco.

Serão fortalecidos os laços de comércio entre pequenas e médias empresas. Um dos atos trata especificamente das trocas de conhecimento para redução do uso do papel no comércio. Por meio dos acordos comerciais, Dilma pretende ampliar e diversificar o comércio de bens com maior valor agregado.

Impostos
Além dos dez atos, foi assinado o protocolo adicional à Convenção destinada a evitar dupla tributação e prevenir a evasão fiscal em matéria de impostos sobre a renda. O documento é um complemento da convenção original assinada em 1989 entre os dois países e atualiza questões relativas à troca de informações.

A Coreia do Sul é responsável por aproximadamente US$ 3 bilhões em investimentos no Brasil, principalmente nas áreas automotiva, de semicondutores e de siderurgia. Entre 2009 e 2014, o comércio bilateral entre Brasil e Coreia do Sul passou de US$ 7,5 bilhões para US$ 12,3 bilhões.


Fonte: Portal Brasil, com informações do Ministério da Comunicação, Agência Brasil e Blog do Planalto.