Voltar

Após 7 altas, confiança do comércio fica estável em, dezembro, diz CNC

21/12/2016
Imagem retirada de http://cnc.org.br/noticias/67-anos-em-defesa-do-comercio-de-bens-servicos-e-turismo
Imagem retirada de http://cnc.org.br/noticias/67-anos-em-defesa-do-comercio-de-bens-servicos-e-turismo

A confiança dos comerciantes ficou estável em dezembro (0,0%), na série livre de influências sazonais, mostrou o Índice de Confiança do Empresário do Comércio (Icec), divulgado nesta terça-feira (20) pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC).

Com 96,01 pontos contra 96,03 em novembro, a estabilidade do índice interrompe uma sequência de sete meses de alta na série com ajuste sazonal (veja o gráfico acima). Por outro lado, o índice cresceu 24,1% em relação a ao mesmo mês de 2015. O Icec ainda se encontra em um patamar negativo, abaixo dos 100 pontos.

Percepção do presente
O subíndice do Icec que mede a percepção dos comerciantes sobre a situação presente do negócio recuou 0,9% em dezembro. Após consecutivas quedas, a avaliação das condições atuais vinha melhorando desde fevereiro deste ano, movimento que foi interrompido este mês, segundo a CNC.

Quanto às condições atuais da economia, a percepção dos varejistas piorou em dezembro, com queda de 3,6%, assim como em relação ao desempenho do comércio, que caiu 0,7%, enquanto melhorou em comparação ao desempenho da empresa, com alta de 0,5%.

Segundo a pesquisa, a proporção de comerciantes que avaliam as condições atuais da economia como "piores" é menor, mas continua elevada. Para 79,8% dos varejistas, a economia piorou em dezembro.

Estoques
Em dezembro, o subíndice que mede as condições de investimentos do comércio registrou alta de 0,4%, influenciado por novo aumento de 0,6% nas intenções de contratação de funcionários e pela alta de 1,3% nas intenções de investimentos na empresa. Por outro lado, piorou a avaliação dos estoques diante da programação das vendas em 0,6%.

Fonte: Udop, com informações do G1